sábado, 10 de dezembro de 2011

Entendo a teoria Reuven Feuerstein, e o conceito de plasticidade neuronal

A mediação pedagógica, fundamentadas pelas Teorias de Reuven Feuerstein, um psicólogo e teórico que preocupou-se com a sistematização dessa ação mediacional do professor e serve como embasamento do trabalho  desenvolvido junto a alunos com necessidades educacionais especiais na Sala de Recursos Multifuncionais.
Plasticidade cerebral é a capacidade de modificação ou reestruturação das estruturas mentais ocorridas através da mediação recebida pelos sentidos do ambiente em que o sujeito se encontra. O conceito de plasticidade neuronal trouxe um grande significado para meu trabalho em Sala de Recursos, onde pude perceber a importância do processo de mediação que é base do trabalho do Atendimento Educacional especializado.
Acredito que todo sujeito que receber estímulos por meio de um mediador, pode transcender ou modificar os processos mentais; o que vai mudar de um individuo  para outro é o tempo e a quantidade dos estímulos que necessitará para que essa modificação das estruturas aconteça.
Para que a mediação aconteça é necessária a presença dos estímulos e do mediador, além da aceitação a esses estímulos pelo sujeito mediado.  Refletindo sobre o esquema S-H-O-H-R,  percebe-se que os estímulos recebidos através da mediação do professor sobre o sujeito mediado traz respostas desse sujeito, no caso o aluno. Assim se dá o trabalho do Atendimento Educacional Especializado, onde os estímulos (S)  provocados pelo professor-mediador (H) ao aluno-mediado (O) e este responde através da modificação das estruturas mentais (R). Todo sujeito apresenta um desenvolvimento cognitivo, que vai evoluindo com as fases de crescimento e desenvolvimento humano, desenvolvimento natural que não explica a plasticidade cerebral. Alguns, no entanto apresentam atraso nesse desenvolvimento natural, devido a diversos fatores como: deficiências, problemas genéticos, carências nutricionais, problemas decorrentes do parto. Indivíduos com esses atrasos necessitam de uma maior quantidade de estímulos para que ocorra esse desenvolvimento cognitivo e a modificação de estruturas mentais.
Minha atividade do Curso Educação Especial e Atendimento Educacional Especializado. Universidade Federal de Uberlândia. 2011.

Um comentário:

  1. Acredito plenamente, quem conheceu o Trabalho de Reuvem Feuerstein, se apaixona por ele e por sua pratica e teoria!!!

    ResponderExcluir